quarta-feira, 23 de março de 2016

Resenha: Uma curva no tempo

Título Original: Fractured
Autor: Dani Atkins
Ano de Publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Páginas: 240p.
Ano de Edição: 2015
ISBN: 9788580414134
Idioma Original: Inglês
Tradução: Raquel Zampil
Título em português: Uma curva no tempo



Sinopse:

A noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona? A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?


Este livro deveria ter sido lido para desafios com tema: comprei pela capa. Porque foi justamente esse motivo que o comprei. A capa é linda!!! Como o desafio/sugestão de livros do calendário era ler livros escritor por uma mulher, ele foi o escolhido.

Uma curva no tempo é o primeiro romance escrito pela autora inglesa Dani Atkins, que já começou com tudo.  A história é dramática, romântica, impactante e fofa, um enredo para se apaixonar.

A história é narrada em primeira pessoa pela protagonista Rachel. Ela e os amigos terminaram o ensino médio e em poucas semanas cada um vai para uma universidade, assim eles combinam um jantar de despedida entre os amigos, o namorado Matt, o bonitão do colégio, a melhor amiga dela Sarah, o melhor amigo desde a infância Jimmy, que está apaixonado por ela, apesar de todos saberem ela é a única que não vê a paixão de Jimmy, Cathy, a “piriguete” da escola e mais alguns outros amigos secundários sem importância para a história.


Tudo estava indo bem, entre o clima descontraído de uma reunião entre amigos queridos e a nostalgia da despedida. Até que um carro em alta velocidade e desgovernado atinge o restaurante em que eles estão. Tudo passa muito rápido, menos para Rachel que vê tudo em câmera lenta, mesmo assim ela não consegue sair do lugar antes da colisão. Para salva-la Jimmy volta e empurra Rachel, sendo atingido fatalmente pelo carro e Rachel sobrevive com uma cicatriz horrível no rosto.

Devido ao acidente, a morte de Jimmy e a cicatriz, Rachel se isola de todos, não vai para a faculdade de jornalismo que era seu sonho, se muda para um apartamento horrível, tem um emprego desgastante e com tanta preocupação com a filha, o pai dela acaba tendo câncer (que já está em estágio terminal). Ou seja, a vida dela está f*****.


No entanto o casamento da melhor amiga do colégio cinco anos depois, a força voltar para sua cidade natal Great Bishopsford e reencontrar os velhos amigos e velhas lembranças. Apesar da resistência ela decide ir jantar com amigos, mas devido à dor de cabeça terrível (consequência do acidente) ela vai embora mais cedo e resolve visitar o túmulo onde Jimmy está enterrado. As dores de cabeça aumentam a ponto de ela perder as forças nas pernas e desmaiar.

Quando Rachel acorda no hospital, tudo está diferente. Seu pai está saudável, ela está noiva do Matt e o melhor, Jimmy está vivo. Rachel não se lembra de nada dos últimos cinco anos, as únicas lembranças desta época são de uma vida horrível e amargurada. O que está acontecendo?

“Minha primeira vida terminou às 22h37 de uma noite chuvosa de dezembro”.

“Minha segunda vida começou umas dez horas depois”.

E é essa pergunta que nos rodeia até o final do livro. Elaborei mil teorias, queria saber o que estava acontecendo, seria algo sobrenatural, viagem no tempo, fenda no tempo, loucura, sonho, realidade e quais das duas vidas de Rachel seria a verdadeira. O enredo me prendeu do começo ao fim.

“Quando é que um sonho se torna um pesadelo?”

Estava com medo de ser aqueles livros com final em aberto (gosto quando os livros tem finais explicadinhos), mas o desfecho foi emocionante. Até pensei nesta teoria, só não queria que o final fosse aquele, apesar de ser totalmente coerente com a história.

"Pela primeira vez questionei por que estava tão motivada a demolir um mundo que podia ser muito melhor do que aquele no qual eu vivia."

Nunca comento sobre diagramação porque geralmente eu leio o livro no idioma original, mas este eu li a versão brasileira da editora Arqueiro. A capa como já disse no início da resenha é linda e ela é meio aveludada (super gostosa de passar a mão), as páginas são amarelas e a fonte muito boa para ler. A Arqueiro fez um trabalho maravilhoso e impecável.

O livro é maravilhoso, recomendo para aqueles que gostam de leituras leves e emocionantes.



2 comentários:

  1. Oi Lisandra,
    Eu também compraria esse livro pela capa haha aliás, sou doida para lê-lo.
    Esse acidente foi bem no estilo daqueles filmes do Premonição. Fiquei curiosa com o final.

    Ainda preciso resenhar o meu do desafio, desse mês.

    tenha um ótimo feriado.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Eu tô TÃO doida pra ler esse livro!
    Só em ler as resenhas já elaboro mil teorias, mas aposto que no fim é algo que nem se passou pela minha cabeça ;x
    quero já!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras|Tem resenha premiada e concurso cultural valendo livros no blog!

    ResponderExcluir