sábado, 18 de junho de 2016

Resenha: Menina Má

Título Original: The Bad Seed
Autor: William March
Ano de Publicação: 1954
Páginas: 272p.
Editora: DarkSide
Ano de Edição: 2016
ISBN: 9788566636819
Idioma Original: Inglês
Tradução: Simone Campos
Título em português: Menina Má


Sinopse:
Quando nasce a maldade? Nascemos todos inocentes e somos corrompidos pelo mundo à nossa volta? Ou será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar mesmo na mais adorável das crianças? Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas.


Quando vi a capa deste livro, ele já me chamou a atenção, quando vi que era uma história de terror, disse para mim mesma: quero este livro! Aí a Amazon lança uma promo com alguns livros da DarkSide. Pronto! Comprei o livro.

Melhor consegui encaixa-lo no Desafio Alfabeto Literário deste mês, autor com inicial W #desafioalfabetoliterário.

A menina do título é a pequena Rhoda Penmark de 8 anos, ela e os pais se mudam para uma nova cidade e precisam se adaptar à nova rotina, escola, amigos e vizinhos. Mas para Rhoda tudo parece ser tranquilo, afinal mesmo com seus poucos anos ela é uma criança perfeita, educada, amável, cativante, obediente, os vizinhos a adoram. A mãe Christine não sabe como pôde merecer uma filha como Rhoda.


“A cabeça de uma criança e tão inocente. Uma maravilha. Sem uma pitada de logro ou falsidade.” Pág.45.

Família de comercial de televisão! Só que não!!! Apesar da maturidade de Rhoda, sua mãe percebe que há algo de errado com ela, só não sabe o que. Depois da morte de um coleguinha de Rhoda durante o piquenique da nova escola, Christine começa a suspeitar que sua filha não é a menininha amorosa que aparenta ser. Ela tem que lidar com toda essa situação sozinha (o pai não aparece durante a história, só no finalzinho. Ele trabalha no exterior e Christine tem que educar e cuidar da filha sozinha).

Nos dias de hoje, o enredo parece ser clichê, já que temos várias crianças psicopatas na literatura ou cinema. Mas o livro foi escrito em 1954 e na época apresentou uma história original e inspirou alguns dos nossos pequenos psicopatas Damien, Chucky, Annabelle, Samara e o serial killer Dexter.

Montagem da DarkSide

A década de 1950 é conhecida como a era de ouro da psicanálise e o autor soube abordar essa questão perfeitamente. A personagem Rhoda é muito bem desenvolvida, conhecemos suas maldades e seus motivos psicopatas. Tudo faz sentido, não é só uma garotinha assassina. Aproveitando a onda psique, March criou o exemplo fiel da era da psicanálise, Monica Breedlove, a vizinha de Christine, não cansa de dizer que tudo pode ser explicado pela psiquiatria.

Mas deixando essa parte da ciência de lado, vamos ao livro. Ele é escrito em terceira pessoa e centrado quase totalmente na mãe, a ponto de misturar a descrição da cena que está acontecendo com o pensamento da Christine. No começo achei meio confuso, tipo a Monica estava falando alguma coisa e a Christine falando/pensando outra coisa. Mas quando se entende o que está acontecendo (uma mãe descobrindo que sua filha talvez tenha matado alguém), a cena faz total sentido.

“Ela pensou no passado, retrocedendo ao começo da vida da menina, esforçando-se para enxergar se falhara em educá-la ou amá-la, tentando encontrar os erros que cometera.” Pág. 113

A leitura é fluida, rápida e o suspense agoniante. Na época do seu lançamento fez um sucesso estrondoso, recebeu grandes elogios, no mesmo ano recebeu uma adaptação teatral por Maxwell Anderson e em 1956 Mervyn LeRoy adaptou para os cinemas, versão que recebeu quatro indicações para o Oscar. Eu não assisti ao filme, pelo que sei o final é diferente do livro, quero ver esse final porque o do livro até agora eu não aceito. Não! Não! Não!


Para quem gosta de terror, suspense, thriller psicológico este livro é mais que indicado.


Um comentário:

  1. Eu vi a promoção do Submarino e precisei de muita força para não comprar nada. Esse livro sempre chamou minha atenção na livraria e sua resenha demonstra que vou gostar bastante. Vai ter um especial DarkSide esse mês lá no Mundo de Tinta #naoperca. Obrigada por participar do nosso #desafioalfabetoliterario

    ResponderExcluir