quinta-feira, 23 de junho de 2016

Resenha: Os Quatro Grandes

Título Original: The Big Four
Autor: Agatha Christie
Ano de Publicação: 1927
Editora: HarperCollinsPublishers
Páginas: 272p.
Ano de Edição: 2002
ISBN: 9780007120819
Idioma Original: Inglês
Título em português: Os Quatro Grandes



Sinopse:
Em 'Os quatro grandes', Poirot se prepara para sua primeira travessia transatlântica rumo à América Latina, mais precisamente o Rio, quando um desconhecido lhe faz uma visita inesperada. Como que num transe, o intruso começa a lhe falar sobre uma mortífera rede internacional de crime organizado, os Quatro Grandes. Decidido a levar a investigação até as últimas consequências, o inspetor se vê em meio a uma intriga internacional, que envolve armas secretas, laboratórios subterrâneos e fugas.


Mais um livro para o Projeto Poirot – Agatha Christie e desta vez o escolhido foi Os Quatro Grandes. Para começar a resenha, já aviso que este é um livro diferente dos demais que já li da autora. O crime é diferente, aí você pode perguntar, mas não tem assassinatos, sequestros, envenenamento e muitas mortes. Sim tem tudo isso, mas os criminosos fazem parte de uma organização criminal mundial. Estilo 007 – James Bond.

“Poirot – Hercule Poirot”

A história começa quando Hastings que casou e está morando na Argentina vem visitar seu amigo Poirot e encontra este com as malas prontas. Dentro de uma hora partirá para onde? América do Sul – Rio! 

Poirot foi contratado por um milionário americano Abe Ryland para investigar fraude em uma empresa no Rio de Janeiro. Mas pouco antes dele partir, um moço misterioso bate na porta, mesmo sem folego dá informações sobre uma quadrilha internacional que pretende dominar o mundo (não é o Pinky e o Cérebro!). Comandada por um poderoso chinês, um milionário americano, uma mulher francesa e o número quatro é um homem misterioso conhecido somente como O Destruidor.

Poirot não entende muito o que está acontecendo, mas logo usa suas células cinzentas e descobre toda a trama que estava sendo formada e parte para descobrir os criminosos que comandam a organização.


Logo que comecei a ler achei que seria o livro dos livros da AC, uma trama intrigante, o maior caso do Poirot e um adversário do nível do Poirot. Mas achei que ficou muito confuso o decorrer da história. Vários crimes aconteciam e no final Poirot descobria que estava relacionado aos quatro grandes. Me deu a sensação de estarem um pouco forçados.

De acordo com algumas informações que obtive parece que os crimes eram contos que a autora escrevia para uma revista e depois foram compilados para formarem o livro. Isso explica a desconexão que achei entre um capítulo e outro. Mas não sei se é verdade.

Como em todos os livros que o Hastings está, a história é narrada por ele. E desta vez até o Captain Arthur Hastings estava diferente. Não sei explicar, ele agia e se metia em confusões muito bobas.

Mas como em todos os livros da AC, a trama é cheia de reviravoltas e revelações surpreendentes. O suspense te prende mesmo com a sensação que a autora está enrolando.

Não é um livro ruim, ao contrário, bem instigante, mas esperava mais da rainha do crime. Recomendo para quem quer conhecer o lado de intrigas internacionais da Agatha Christie.




Um comentário:

  1. Olá,
    Esse ano resolvi ler algumas coisas da autora e gostei bastante do meu primeiro escolhido. Já curti esse por ela ter envolvido o Rio, me deixou curiosa o desenvolvimento.

    até mais :*
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir