quarta-feira, 27 de julho de 2016

Resenha: Se eu fosse a Cinderela

Título Original: Se eu fosse a Cinderela
Autor: Gislaine Oliveira
Ano de Publicação: 2015
Páginas: 52p.
Editora: [s.n.]
Ano de Edição: 2015
ISBN: 9788547100360
Idioma Original: Português




Sinopse:
O que você faria se tivesse a oportunidade de viver um conto de fadas? Pois Cinddy não fica nada feliz com essa situação e acaba arrumando grandes confusões em uma das histórias mais famosas de todos os tempos.


No mês de junho tivemos um evento no facebook, falei dele neste post. Uma das autoras convidadas foi a Gislaine Oliveira e ela fez várias atividades de interação com o pessoal, uma delas eu ganhei, tinha que montar um quebra-cabeça e quem montasse primeiro ganhava um livro. Nunca disse isso aqui, eu adoro quebra-cabeças, quando criança montava vários, aqueles com no mínimo 1000 peças. Voltando para a resenha, porque o importante aqui é o livro, não meu fascínio por quebra-cabeças, né!?

No inicio do mês de julho recebi o livro (a Gislaine é daqui do RS!), ele tem uma capa e contracapa muito fofas, e a história também é muito fofinha. É um livro infanto-juvenil.



Cinddy é uma aborrecente adolescente, ela não gosta do nome dela, adora implicar com os pais, odeia o nome dela, sofre bullying na escola por causa do nome que ela não gosta e ao contrário das amigas, primas e mãe, não acredita em príncipe encantado e nem em contos de fadas. Já falei que ela não gosta do nome dela, se não, ela não gosta do nome que sua mãe escolheu por causa da Cinderela dos contos de fadas rsrsrsrsrsrs. Sim, ela fica repetindo a história do nome dela várias vezes!

Ela acredita no amor, só não acha que as meninas devam ficar sonhando e esperando que o príncipe encantado e perfeito apareça para salva-las. Ela é uma jovem realista e determinada.

Mas um dia, ela acorda em uma casa diferente, com pessoas diferentes, num mundo diferente. Será que contos de fadas existem? Será que ela está vivendo a vida da Cinderela? Será que tem um príncipe perfeito? Se isto tudo existir, Cinddy tem uma certeza, ela não será uma mocinha romântica que a qualquer perigo chama o príncipe para protegê-la.

A história é super curta, menos de 50 páginas, li bem rápido, umas duas horas. Fiquei com a sensação de que poderia ter mais páginas, queria saber mais da Cinddy. Achei o final muito lindo.

Não só a capa é muito bonita, ele tem alguns desenhos no meio da história que também são muito fofos. Os números das páginas estão dentro de uma coroa de rei e o título de cada capítulo tem uma fonte que combina perfeitamente com os contos de fadas.


No final a autora deixou algumas páginas em branco para que os leitores escrevessem e/ou desenhassem que decisões tomariam se tivessem no lugar da Cinddy.

Não sou muito de ler livros para crianças, mas gostei desse. Pelo que pude entender, Se eu fosse a Cinderela faz parte de uma série de livros (Se eu fosse...) que ainda serão lançados e que recontarão as aventuras dos clássicos infantis.

Um comentário:

  1. Awon Lisa =D Muito obrigada :)
    Também sou apaixonada por quebra-cabeça :3 Acho tão divertido e nunca consigo desistir de um desafio :3 Mas nunca montei um com mais de 1000 peças :( É meu sonho, um dia eu compro e monto hahhaha
    Fico tão feliz que tenha curtido essa história :3 Também acho que ela podia ser maior hahah, mas levando em conta o público alvo que é a galerinha mais nova, achei melhor pegar mais leve :) Até porque vão ter outros, então... Muito obrigada pelo carinho e pela resenha. Amei conhecer sua opinião.
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir